Inicio do conteúdo site.
Chico Buarque , commodities , Covid-19 , cpi , economia , Humberto Casagrande , Ibsen Costa Manso , Jair Bolsonaro , Joe Biden , Moisés Rabinovici , pandemia , STF , Walter Fanganiello Maierovitch

O que será que será? Entre espiões e gravações

A edição 13 aponta para dilemas econômicos que o Brasil viverá na retomada – só não se, e quando, vai acontecer. No hemisfério norte, a impressão é que Joe Biden começa a exagerar nas medidas de impacto. No Planalto Central, a Praça dos 3 Poderes vira campo de batalha, com intrigas, CPI e recursos jurídicos. Temas para 4 Ases.

Walter Fanganiello Maierovitch comenta a pauta do STF, o perfil polêmico de seus integrantes e as decisões que mudam ao sabor do vento e sob pressões. Até votações entre Turmas ou Plenário geram discussões.

Humberto Casagrande, inspirado na frase “O que será que será/ Que gritam nos mercados?”, da música de Chico Buarque (1976), traça um cenário sombrio para o futuro imediato: o Brasil como pária, isolado fisicamente, atrasado em tecnologia e apenas vendendo commodities no mercado externo.

Ibsen Costa Manso relembra como uma Comissão Parlamentar de Inquérito pode deixar sequelas. No caso de Bolsonaro, começaram antes mesmo de ser instalada. Na Cartada Final, comenta mais uma troca na Comunicação do governo federal e o ´ruído´ que isso gera.

Moisés Rabinovici apresenta o resultado de um arquivo preparado por espiões dos EUA sobre países do Oriente Médio. O especialista em assuntos internacionais também prevê confusões geradas pela inesperada impulsividade de Joe Biden: enquanto anuncia a saída do Afeganistão, assina medidas de retaliação contra a Rússia (por interferência nas eleições americanas) e expulsa de espiões que estariam disfarçados de diplomatas.

OS 4 ASES:
HUMBERTO CASAGRANDE, consultor financeiro, autor e CEO do Centro de Integração Empresa-Escola (CIE-E);

IBSEN COSTA MANSO, jornalista, analista político, palestrante, destacou-se no Estadão e na Globo News;

MOISÉS RABINOVICI, jornalista, foi correspondente internacional em Jerusalém, Washington e Paris;

WALTER FANGANIELLO MAIEROVITCH, jurista, desembargador aposentado e presidente do Instituto Giovanni Falcone.