Inicio do conteúdo site.
Como financiar o desenvolvimento brasileiro: com Humberto Casagrande, Aldo Rebelo e Lorenzo Carrasco

O Brasil precisa se desenvolver, crescer, gerar emprego, renda e se financiar, seja com investimento público ou privado. E para que isso tudo aconteça, é preciso recuperar o debate qualificado que foi perdido na polarização agressiva e improdutiva que esquerda e direita protagonizam no país.

“Como financiar o desenvolvimento brasileiro” foi o debate promovido pelo CIEE e pelo Movimento Anti-reset, no dia 17 de novembro, dois dias após o primeiro turno das eleições municipais.

“Crescimento e a retomada do desenvolvimento não estão na agenda do país”, reclamou o ex-ministro da Defesa e Ciência e Tecnologia, também ex-presidente da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo, que criticou as forças conservadoras por defenderem a agenda única contra a corrupção – “que foi meritória, necessária, mas não poderia ter sido a única”. E a esquerda, diz ele, “se esqueceu da agenda do desenvolvimento e da justiça social e da redução da desigualdade social. “E agarrou a agenda do comportamento, dos costumes. Esqueceu a agenda do desenvolvimento do país como se houvesse saída do país sem crescimento”.  

O CEO do CIEE, Humberto Casagrande, que voltou a defender os “Coronabonds”, títulos especiais para financiar os gastos da pandemia do novo Coronavírus com longo prazo de pagamento, alongando parte da dívida do país, denunciou a falta de um projeto de país. “É preciso um grande entendimento nacional em torno das ideias básicas como geração de emprego, a melhoria da educação dos jovens e o crescimento econômico. Dois, três anos de crescimento fariam a dívida pública cair de forma importante”. No Brasil, a discussão das contas públicas tem preterido a do desenvolvimento que poderia reduzir o endividamento.

Lorenzo Carrasco, jornalista e escritor, finalizou dizendo: “Este é um debate inicial. Eu creio que o caminho do financiamento da infraestrutura é o caminho que já deu certo no mundo e que países estão voltando a recorrer ao modelo. A classe política e a justiça brasileiras precisam mudar a mentalidade, senão entraremos numa crise social sem precedentes. E do desenvolvimento do Brasil depende também o desenvolvimento da América do Sul”. 

Nesta versão especial do “Pensando o Brasil com Adalberto Piotto”, pela TV CIEE, três pensadores convidados colocaram o desenvolvimento do país no centro do debate nacional, qualificado e aprofundado. Não é comum na mídia brasileira.

Ou seja, este é um convite irrecusável para que você assista e participe do programa.

E seja bem-vindo ao Brasil que quer avançar!