Inicio do conteúdo site.
4Ases , All Rise , aud Sarlieve , Brasil , combate à Covid-19 , cpi da pandemia , crime contra a humanidade , Desmatamento da Amazôna , Emissões de gases , Floresta Amazônica , Haia , Holanda , Humberto Casagrande , Ibsen Costa Manso , Jair Bolsonaro , Leilão do 5G , Moisés Rabinovici , Nigel Povoas , Nossa Senhora Aparecida , O fim da CPI , presidente volta a provocar adversários , Tribunal Penal de Haia , Tribunal Penal Internacional , Universidade de Oxford , Walter Fanganiello Maierovitch

As várias faces da mesma moeda

São Paulo, 14 de outubro de 2021 – Em plena terça feira, 12 de outubro, enquanto o Brasil celebrava Nossa Senhora Aparecida e dedicava o dia para as crianças, o Tribunal Penal Internacional, em Haia, na Holanda, recebia uma nova denúncia contra o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. A acusação foi apresentada por uma ONG da Áustria chamada ‘All Rise’. Motivo: desmatamento da Amazônia e seu impacto mundial. O cálculo de especialistas é que as emissões de gases podem provocar mais de 180 mil mortes. São essas as diferentes faces do Brasil em destaque na edição desta semana do programa 4 Ases:

·        FACE 1 – Presidente acusado de crime contra a humanidade;

·        FACE 2 – Na praia paulista, o presidente volta a provocar adversários;

·        FACE 3 – O governo projeta 50 bilhões de dólares com o Leilão do 5G;

·      FACE 4 – O fim da CPI que revelou artimanhas e desvios no combate à Covid-19;

O programa semanal 4 Ases é apresentado ao vivo nos canais do YouTube e Facebook do projeto, disponibilizado nas próprias redes sociais, e pela página no Linkedin do CIEE – Centro de Integração Empresa-Escola, apoiador institucional juntamente com a Fundação Editora da UNESP, a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. O Portal e a Revista IMPRENSA são parceiros de conteúdo, distribuindo o programa em suas redes sociais.

Moisés Rabinovici comenta a acusação feita no Tribunal Penal de Haia por especialistas em direito internacional, os advogados Maud Sarlieve e Nigel Povoas, o climatologista da Universidade de Oxford, Friederike Otto, e o fundador da ‘All Rise’, Johannes Wesemann, que declarou: “Crimes contra a natureza são crimes contra a humanidade. Jair Bolsonaro está alimentando a destruição em massa da Amazônia com os olhos bem abertos e pleno conhecimento das consequências. O TPI tem o dever de investigar crimes ambientais de tal gravidade global”. Com a Cúpula do Clima em Glasgow, em novembro, a pressão sobre o Brasil aumenta cada vez mais. A ONG austríaca diz que a destruição de cerca de 4.000 quilômetros quadrados da Floresta Amazônica é resultado da taxa de desmatamento, que aumentou 88% desde que Bolsonaro assumiu o poder.

Wálter Fanganiello Maierovitch comenta o fatiamento em três partes do relatório da CPI da Pandemia e trata de duas notícias sobre o STF: a contradição de Toffoli, ao não encaminhar denúncia contra Paulo Guedes e a offshore familiar nas Ilhas Virgens Britânicas, e o lançamento pelo Centrão de um nome também evangélico como alternativa ao nome de André Mendonça para 11º ministro do STF.

Ibsen Costa Manso comenta o fim da trégua na paz política no feriadão durante a viagem de Bolsonaro ao Guarujá, onde comprou novas brigas e fez repetidas acusações contra adversários. Enquanto isso, Ibsen aguarda a sessão final da CPI da Pandemia.

Humberto Casagrande comenta a importância dos US$ 50 bilhões que pode ser arrecadado no Leilão da 5G a realizar-se no dia 27 de outubro de 2021. Fim de uma longa novela em que os bolsonaristas acusaram a China por ´risco de espionagem´ e das pressões dos Estados Unidos – tanto na gestão Trump como na de Biden. É o país de volta na rota do desenvolvimento tecnológico.

OS 4 ASES:

HUMBERTO CASAGRANDE, consultor financeiro e autor de várias obras sobre economia;

IBSEN COSTA MANSO, jornalista, analista político, palestrante, destacou-se no jornal O Estado de S. Paulo e na GloboNews;

MOISÉS RABINOVICI, jornalista, foi correspondente internacional em Jerusalém, Washington e Paris;

WÁLTER FANGANIELLO MAIEROVITCH, desembargador aposentado, ex-Secretário Nacional Antidrogas e presidente do Instituto Giovanni Falconeé comentarista da rádio CBN.