Inicio do conteúdo site.
Conviventes grafitam muros do Espaço de Cidadania

Conviventes de Salvador grafitam muros do Espaço de Cidadania

6 de setembro de 2019
Atividade, que empolgou os jovens, marcou o encerramento da oficina

Com o objetivo de possibilitar experiências e vivências de habilidades diversas nos Espaços de Cidadania do CIEE, no eixo Lazer são oferecidas oficinas de expressão e descontração. Em Salvador, os grupos acabam de concluir as oficinas de grafitti e para marcar esta conclusão os jovens grafitaram os muros do Espaço e dos arredores.

Orientados pelo artista Samuca Alves, os jovens do grupo da manhã optaram por retratar pontos turísticos visitados por eles durante as atividades da temática Território: Farol da Barra, Casa de Jorge Amado, Elevador Lacerda e o Centro Histórico de Salvador. “As experiências proporcionadas pelas oficinas de grafitti acessaram habilidades dos conviventes que podem fazer toda a diferença na vida deles, já que a arte é sempre uma alternativa digna e honrada para seus projetos de vida”, ressalta o analista técnico de projetos sociais Leonardo Manso.

Debate sobre diversidade e inclusão

O grupo da tarde participou anteriormente de uma roda de conversa sobre diversidade e inclusão com Renata Martorelli, da instituição Pontos Diversos. A ONG oferece serviços especializados e programas de aprendizagem e inclusão profissional como forma protegida e qualificada de acesso ao mundo do trabalho. “Construí minha trajetória profissional em instituições do terceiro setor com o sonho de tornar o mundo mais justo, lutando para que os direitos de todos sejam respeitados, inclusive no mercado de trabalho”, partilhou Renata. Ela ainda relatou  que a inserção precisa ser feita levando em consideração o ponto de vista do direito e da própria diversidade e não apenas das deficiências, ressaltando que a diversidade é muito importante nas organizações, principalmente pela riqueza de opiniões, respeito às diferenças e aprendizagem que ela pode proporcionar para todos.

Sonho de ser artista

Depois de ouvir sugestões dos jovens aprendizes do Projeto, os conviventes elaboraram os desenhos que foram  grafitados no muro da ONG, que é vizinha do Espaço de Cidadania.

“Para mim foi uma experiência muito marcante. Uma coisa é fazer um desenho a lápis no papel ou no computador, outra coisa é transferir seu desenho com o spray para o mundo real, fazendo as pessoas refletirem e sentirem sua arte”, comemorou Tiago “Zara” Guedes, de 15 anos, que sonha em ser artista.