Inicio do conteúdo site.

Pesquisa mostra que filantrópicas retribuem com quase 10 vezes o valor da imunidade tributária recebida

19 de agosto de 2022
Evento do FONIF mostrou números das entidades nas áreas da saúde, educação e assistência social

Nesta quinta-feira, 18/08,  o Teatro CIEE, em São Paulo, recebeu um evento realizado pelo Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas (FONIF), que debateu os resultados da terceira edição da pesquisa “A Contrapartida do Setor Filantrópico no Brasil”. Participaram do encontro o Irmão Vanderlei Siqueira, presidente do Grupo Marista; Vânia Rodrigues Bezerra, diretora de Compromisso Social do Hospital Sírio Libanês e Marcia de Carvalho Rocha, superintendente da APAE Rio de Janeiro. A mediação foi feita pelo Padre Antonio Tabosa, vice-presidente do FONIF. 

O estudo apresentou os aspectos quantitativos e qualitativos da atuação das instituições filantrópicas, tendo como base de dados os números oficiais da Receita Federal e dos Ministérios da Cidadania, Saúde e Educação.

“Infelizmente, muitas pessoas, inclusive tomadores de decisão, ainda se mostram resistentes ao trabalho das instituições filantrópicas. Através dessa pesquisa, mostramos com dados como essas entidades são essenciais para o atendimento de uma parcela significativa da população”, Custódio Pereira, Presidente do FONIF, que fez a abertura do evento ao lado de Humberto Casagrande, CEO do CIEE. 

A pesquisa mostra que,  em 2020, coube às 27.384 instituições filantrópicas detentoras da Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) a tarefa de realizar 230 milhões de procedimentos hospitalares; conceder quase 800 mil bolsas de estudo na Educação Básica e no Ensino Superior e disponibilizar mais de 625 mil vagas para pessoas em situação de vulnerabilidade social. 

Além disso, considerando as informações apresentadas para cada uma das áreas de atuação da filantropia – Saúde, Educação e Assistência Social – a contrapartida tangível e intangível das instituições filantrópicas certificadas pelo CEBAS, o valor retornado à sociedade é de aproximadamente R$ 139 bilhões, ou seja, 9,79 vezes maior que o valor de R$ 14 bilhões da imunidade tributária recebida naquele ano. Números mais do que relevantes para mostrar sua importância.

“Um ponto essencial é que todas as instituições continuem a se unir. Essa convergência tem efeito benéfico para toda a sociedade brasileira e mostra como o setor é relevante para o Brasil”, comentou José Augusto Minarelli, presidente do Conselho de Administração do CIEE, que acompanhou o evento. 

Confira a pesquisa: A Contrapartida do Setor Filantrópico no Brasil