Inicio do conteúdo site.

Novo estilo de vida está mudando a gastronomia

3 de julho de 2020
Jovens que estão dando os primeiros passos na área devem ficar atentos a algumas tendências que estão tomando conta desta área

Você já ouviu falar em cozinha fit e superfoods? E em produtos free from? Se você está pensando em cursar gastronomia, é bom se acostumar com esses termos, que estão cada vez mais em pauta em restaurantes, bares, hotéis e outros negócios que buscam sempre identificar novas demandas do mercado para conquistar sua parcela de clientes. 

Segundo dados da agência de inteligência de mercado Mintel, sustentabilidade, saúde, informação clara sobre os alimentos e produtos “sem” – como sem lactose, por exemplo – estão entre as principais tendências para gastronomia que continuarão pelos próximos anos. 

Entender esse movimento é muito importante para estudantes que estão dando os primeiros passos no mundo do trabalho e querem se destacar em uma área bastante concorrida. Segundo levantamento feito pelo CIEE, em 2019 foram abertas 500 vagas de estágio para gastronomia no Brasil. 

Para explicar melhor essas tendências, conversamos com Mariana Mudrovitsch, que por anos atuou na área do Direito, mas resolveu seguir uma paixão antiga por gastronomia e  fundou a Uná Alimentos, empresa com foco na entrega de alimentos equilibrados, nutritivos, inovadores  e inclusivos para seus clientes. 

Dietas free from

Antes raros, os alimentos “sem” – como sem lactose e sem glúten, por exemplo – ganham cada vez mais importância no mercado. Para Mariana, há dois motivos para essa tendência.

A primeira é a má alimentação que a população em geral tem praticado há décadas. A segunda é a tendência da personalização. “Não só no campo da alimentação, mas nos serviços em geral, a personalização da experiência às necessidades e preferências de cada usuário é uma grande tendência. Existem por exemplo empresas empenhadas em permitir que cada um de nós possa diariamente medir a qualidade de sua microbiota intestinal e, assim, produzir um probiótico adequado a cada um, para cada dia, indicando ainda os alimentos mais favoráveis ao indivíduo naquele momento. Esse nível de personalização é algo que teremos no futuro”, completa Mariana.

Sustentabilidade

Segundo Mariana, a redução das distâncias entre a produção e o consumo dos alimentos, é também uma clara tendência. “Se falamos de alimentos sem conservantes, naturalmente pensamos em produções menores. Esse tipo de cultivo também permite um respeito maior ao meio ambiente como um todo, e hoje em dia é cada vez maior a conscientização quanto à necessidade de preservação das condições ambientais para as gerações futuras”, explica

Saudabilidade 

Talvez a principal tendência da gastronomia nos últimos anos, a saudabilidade. Para Mariana, ter uma alimentação equilibrada e adequada é cada vez mais fácil. “Não há mais sentido em comer produtos industrializados cheios de químicas que fazem mal. As alternativas para se alimentar bem estão se expandindo para o alcance de todos”, comenta. 

Tecnologia

A tecnologia está cada vez mais presente em nosso cotidiano, e isso não fica de fora da gastronomia.“Novas tecnologias possibilitam substituir agrotóxicos e aditivos químicos na solução de problemas clássicos e comuns no campo, como as pragas. No preparo dos alimentos, novas máquinas permitem sabores e experiências diferentes”, conta Mariana.