Dia Italiano da Integridade Empresarial é consagrado no Teatro CIEE

29 de novembro de 2018
Evento abordou temas como corrupção, compliance e fez um paralelo entre as operações Mãos Limpas e Lava Jato

29/11/2018 – O CIEE, em parceria com a Embaixada da Itália em Brasília e o Consulado Geral da Itália em São Paulo, promoveu o Dia Italiano da Integridade Empresarial, em comemoração ao Dia Internacional Anticorrupção. O evento foi realizado no Teatro CIEE, em São Paulo, e abordou temas como corrupção, compliance e as semelhanças e diferenças entre as operações Mãos Limpas, realizada na Itália, e a Lava Jato. O debate foi acompanhado por um grande número de jovens que participam do Programa Aprendiz Legal do CIEE.

“O CIEE é a casa do jovem brasileiro. Temos orgulho de aproximar a juventude de assuntos tão pertinentes, como combate à corrupção e o crescimento do compliance nas empresas. É um passo importante para garantir um futuro melhor para o País”, comentou Humberto Casagrande Neto, Superintendente Geral do CIEE.

Entre os participantes estiveram o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Sidnei Beneti, o diretor do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional – Escola Superior do Ministério Público de São Paulo, Antonio Carlos da Ponte, o Desembargador Federal, Nino Oliveira Toldo, o representante da Transparency Italia, Giovanni Colombo, o Titular da Faculdade de Direito da USP, Prof. José Rogério Cruz e Tucci, além do cônsul geral italiano, Filippo La Rosa e o presidente do GEI – Gruppo Esponenti Italiani, Valentino Rizzioli. Também estiveram presentes representantes das empresas Pirelli, Tim, Enel, Embraer, Rina e Terna.

“A atenção dada a esse assunto no Brasil é grande. A sociedade precisa verificar não só as condutas dos governantes, mas também a reputação das empresas. Muitas empresas na Itália criaram departamentos de compliance após operações contra corrupção. É um movimento mundial sem volta”, comenta Filippo La Rosa.

A ocasião também contou com a participação de Wálter Fanganiello Maierovitch jurista e membro do Conselho Consultivo do CIEE. “Os jovens são essenciais no processo de mudança e evolução. Em eventos como esse, mostramos que a prática da corrupção é extremamente danosa para todos, inclusive para o crescimento da economia de um País”, explica Maierovitch.