CIEE e Fundação São Vicente de Paulo juntos pelo estágio de estudantes indígenas em MT

14 de março de 2019
Para ter acesso ao programa de estágio indígena, o estudante precisa estar regularmente matriculado no Programa de Inclusão Indígena (Proind) “Guerreiros da Caneta”

Promover o acesso de estudantes ao mundo do trabalho é a missão do CIEE. Nesta busca em cumprir seu propósito, a unidade no Estado de Mato Grosso, em parceria com a Fundação São Vicente de Paulo e com o Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) de Cuiabá desenvolveu um projeto inédito, que em breve abrangerá todo o território nacional. O projeto tem como meta inserir estudantes indígenas no mundo do trabalho via programa de estágio, que no último mês de fevereiro mostrou a que veio.

O programa já conta com 15 estudantes indígenas, oriundos de aldeias próximas às regiões de Cuiabá, Rondonópolis e Tangará da Serra, que estão realizando suas atividades de estágio nos departamentos da Fundação São Vicente de Paulo, de acordo com a sua área do conhecimento. Administração, Assistência Social, Biologia, Ciências Sociais, Ciência e Tecnologia de Alimentos, Direito, Engenharias Ambiental, Civil e Sanitária, Enfermagem, Geografia, Medicina Veterinária, Nutrição e Serviço Social integram o rol de cursos contemplados até o momento.

Para o coordenador da Fundação São Vicente de Paulo em Mato Grosso, Guilherme Oliveira Chaves, a parceria com o CIEE é fundamental no apoio à inserção profissional dos estudantes porque visa melhorar a qualidade de vida tanto dos jovens quanto da população de suas aldeias. “É importante dizer que com essa parceria os estudantes indígenas passam a ter as mesmas oportunidades que os não-indígenas porque terão a oportunidade de  aprimorar os conhecimentos adquiridos em  seus cursos de graduação e levarão para suas aldeias novas expertises”, avalia o coordenador.

Por enquanto, para ter acesso ao programa de estágio indígena, o estudante precisa estar regularmente matriculado no Programa de Inclusão Indígena (Proind) “Guerreiros da Caneta”, uma ação afirmativa  da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), que desde 2007 têm proporcionado aos jovens indígenas a inclusão deles no corpo discente da UFMT. “Em breve, a novidade estará disponível para todo o Brasil tendo o apoio, a experiência e suporte do CIEE”, antecipou Guilherme.