Aprendizagem: mudança de vida para os jovens

6 de maio de 2019
Confira os resultados da pesquisa Datafolha sobre os egressos do programa Aprendiz Legal do CIEE

Gerar renda, qualificar o jovem para o mercado de trabalho e evitar a evasão escolar. São esses os objetivos atingidos pelo programa Aprendiz Legal, do CIEE, de acordo com a pesquisa Datafolha, encomendada pela instituição. Mil e oitocentos estudantes – que concluíram a aprendizagem entre 2016 e 2017 – responderam ao levantamento.”Essa pesquisa é muito importante porque dá um retorno pro CIEE de como está a vida dos egressos hoje. Teve uma etapa qualitativa anterior à quantitativa.  Você consegue ver olho no olho as pessoas e você vê como o projeto é importante pros egressos”, contou Luciana Chong, gerente de Pesquisa de Opinião do Datafolha.

 

Estímulo à capacitação

Entre os entrevistados, 43% cursavam o ensino superior. O  índice é mais do que o dobro do que a média nacional de universitários que é de 18 e 24 anos.  Ou seja, o resultado mostra a importância da continuidade do estudo para o jovem. “Ele precisa se qualificar e o estudo faz parte disso. Ele precisa ter empregabilidade, construir uma carreira no mercado de trabalho e com isso, lá na frente, ele vai conquistar a estabilidade financeira. Eles percebem no programa de aprendizagem, abre portas pro mercado de trabalho, que aumenta a rede de relacionamentos profissionais e melhora alguns aspectos comportamentais também”, disse Marcelo Gallo, superintendente nacional de Operações do CIEE.

 

Sinal de atenção

Nem os resultados positivos têm feito aumentar o número de empresas que abrem as portas para o jovem aprendiz, mesmo existindo uma lei que determina cotas para contratação de jovens estudantes. “Nós atendemos hoje 86 mil aprendizes, mas nós temos um milhão e duzentos mil jovens que querem fazer o programa de aprendiz. Então o grande desafio pra esse programa é a gente conscientizar as empresas a cumprirem a Lei do Aprendizado… abrirem mais vagas e trabalharem com esse programa que é um importante instrumento de recursos humanos também”, alertou Humberto Casagrande Neto, superintendente geral do CIEE.