Inicio do conteúdo site.
Mulher negra com cabelos encaracolados, na altura dos ombros, vestindo uma jaqueta jeans, olha para uma parede de vidro com post its coloridos

“Empresas que vão mudar o mundo de forma relevante são aquelas que querem resolver um problema da sociedade”, defende fundador da 99

20 de abril de 2021
Renato Freitas foi o convidado do 3º episódio da Série de empreendedorismo

Na última sexta-feira, 16/4, o CIEE recebeu Renato Freitas, fundador da 99 e Yellow, para o 3º episódio da Série de Empreendedorismo. O webinar “Case 99 – O primeiro unicórnio brasileira” contou com mediação do jornalista Adalberto Piotto

Formado em engenharia, Freitas atualmente auxilia outros empreendedores a viabilizarem startups, e também atua como investidor anjo. De acordo com ele, muito além de idealizar o setor – se é lucrativo, ou não – as empresas precisam resolver um problema da sociedade. “Pensar em como resolver um problema grande, que é compartilhado por muita gente. Os mercados são criados depois”, afirma. 

Com esse ideal em mente, lembra que criou a primeira startup, a Ebah, que “funcionava como um YouTube” de monografias, onde era possível alunos de vários países trocarem material de estudo.

Já a 99, que se tornaria a primeira startup brasileira a chegar no valor de 1 bilhão de dólares, surgiu quando seu sócio pegou um táxi por aplicativo na Alemanha. Com a experiência da Ebah, em 40 dias o protótipo estava pronto, e em agosto de 2009 deu início ao aplicativo. Freitas explica que os principais desafios na época eram conquistar os taxistas e popularizar o smartphone “tivemos um papel forte de incluir os taxistas no mundo digital e foi importante ter um produto que eles gostavam e confiavam”, conta. 

Após vender as operações para a chinesa Didi Chuxing, Freitas utilizou a experiência de alugar bicicleta na China para tentar mitigar um problema que já chamava sua atenção: o uso das ciclovias nos horários críticos de trânsito. Da iniciativa surgiu a Yellow, que logo disponibilizou bicicletas e patinetes para aluguel nas principais cidades do País. Em 2019 Freitas deixou as operações da startup. 

Ponto de partida

Para aqueles que estão pensando em lançar a própria startup, Freitas explica que é importante não se apegar à primeira ideia, avaliar se o seu produto é viável, entregar o resultado para poucos clientes e analisar os resultados. 

Quer saber como foi o evento na íntegra? Confira abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=38jRwnEl06Q