Inicio do conteúdo site.
Rodrigo Dib, diretor executivo do PROA, Luiz Gustavo Coppola, superintendente Nacional de Atendimento do CIEE e Luiz Douglas, gerente Regional Grande SP e Capital
Rodrigo Dib, diretor executivo do PROA, Luiz Gustavo Coppola, superintendente Nacional de Atendimento do CIEE e Luiz Douglas, gerente Regional Grande SP e Capital / Divulgação CIEE/Rogério Alexandre

Parceria entre CIEE e PROA encaminha 160 jovens para processos seletivos

5 de dezembro de 2019
Gestores valorizam trocas culturais e comprometimento dos aprendizes que chegam ao mundo do trabalho

Como aproveitar o potencial dos jovens e impactar suas vidas de maneira positiva? Esse é um dos propósitos da nossa parceria com o instituto PROA, que oferece orientação para quem está dando  os primeiros passos na carreira.

Promovendo a integração destes jovens no mundo profissional, o CIEE realiza o encaminhamento para vagas de estágio e aprendizagem.

“Trabalhamos em parceria o desenvolvimento de competências em diversos sentidos, visando o crescimento do jovem. No nosso programa de aprendizagem há um reforço dessas habilidades a serem desenvolvidas”, disse o supervisor de Atendimento a Empresas e Instituições de Ensino do CIEE em São Paulo, Leonardo Filenti.

“Queremos transformar a trajetória do jovem, que é tão afetado em situações de crise e escassez de emprego. Sabemos que nada supera o comprometimento, o brilho no olhar e queremos transformar essas vidas de uma forma sustentável, agregando vivência cultural”, acrescentou o diretor executivo do PROA, Rodrigo Dib.

Vantagens de contratar aprendizes

Em cinco meses de parceria entre PROA e CIEE, foram realizados 160 encaminhamentos para processos seletivos em empresas de diversos segmentos.

Como forma de mostrar os pontos positivos dos nossos programas de aprendizagem e apresentá-los como alternativa para futuros parceiros, promovemos um bate-papo com representantes de empresas que já contratam aprendizes pelo CIEE.

“Na nossa cultura organizacional, procuramos passar para o jovem desde o dia em que ele começa, que ele é importante e se ele não vai em algum dia, tem algo que falta em nossa rotina. O maior diferencial dos aprendizes do CIEE é esse comprometimento”, pontuou Aline Rabaça, profissional de RH do grupo Seb.

O mesmo pensamento é compartilhado por Andreia Canapi, do grupo Fleury. “O aprendiz é parte integrante da equipe e faz a diferença todos os dias. É interessante essa construção do jovem no ambiente de trabalho”, analisou.

Fagner Andrade, do GPA, ressaltou principalmente a troca de experiências que o programa de aprendizagem possibilita. “O aprendiz vem com uma bagagem cultural, e ocorre essa troca, muitas vezes sem perceber. Ele traz conhecimento e contribui bastante para o crescimento da empresa”.

Representantes de empresas participam de bate-papo em evento no CIEE