CIEE registra crescimento de 14% na contratação de aprendizes

1 de novembro de 2018
A Lei da Aprendizagem (10.097/2000) determina que empresas de médio e grande porte contratem colaboradores de 14 a 24 anos para capacitação profissional prática e teórica

Entre janeiro a agosto deste ano o Centro de Integração Empresa-Escola – CIEE registrou a contratação de mais de 50 mil jovens aprendizes. O número representa um crescimento de 14% em comparação com o mesmo período de 2017, quando 44 mil jovens foram contratados na modalidade.

As áreas que mais recrutam, ou “arcos” como são chamadas, foram Administrativa, Produção e Comércio e Varejo. A última, que abrange ocupações, como Repositor de Mercadoria, Operador de Caixa etc. apresentou crescimento de 22,07% entre março e agosto de 2018. Outra área que elevou a contratação no período foi a de Auxiliar de Alimentação com aproximadamente 56,80%. Atendente de Lanchonete, Cozinheiro Geral e Cumim são algumas das vagas ocupadas. A média de crescimento dos demais arcos é de 11,92%.

A expectativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) que aponta um crescimento de 5,4% em relação ao ano passado, acelerou o ritmo das contratações. Ainda assim, de acordo com Luiz Gustavo Coppola superintendente Nacional de Atendimento do CIEE, a compreensão dos empresários do programa Aprendiz Legal também impulsionou os resultados “O CIEE modernizou a comunicação, buscou desmistificar o cargo que os aprendizes podem ocupar e aproximou mais empresas do programa”, conta.

A Lei da Aprendizagem (10.097/2000) determina que empresas de médio e grande porte contratem colaboradores de 14 a 24 anos para capacitação profissional prática e teórica – as cotas variam de 5% a 15% do número de funcionários. O objetivo é diminuir a evasão escolar e erradicar o trabalho infantil. O programa Aprendiz Legal é realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho.