Inicio do conteúdo site.
funcionários usando computador
Tecnologia é uma das áreas que mais cresce no Brasil / CIEE

Candidato do CIEE ganha viagem para conhecer sede da IBM

24 de janeiro de 2020
Rafael Gomes da Silva foi um dos vencedores do desafio que contou com mais de 27 mil desenvolvedores

Esforço, dedicação e conhecimento. O estudante de Ciências da Computação, Rafael Gomes da Silva, de Goiânia, foi um dos cinco vencedores da maratona Behind the Code, realizada pela IBM no Brasil, gigante mundial na área da tecnologia, e teve a oportunidade de conhecer a Califórnia em uma imersão no Watson Experience Center.

“Foi minha primeira vez fora do Brasil, e eu sempre tive esse sonho de ir para os EUA. Nós fomos na Plug And Play, na Elastic, na Stanford University, no Facebook, no Computer History Museum. Eu gostei muito da nossa visita à IBM, onde nós conhecemos a equipe de machine learning da Gabriela de Queiroz e visitamos o Watson Experience Center”, comemora Rafael.

Além disso, os jovens vencedores também puderam trocar experiências com Willie Tejada, Chief Developer Advocate da IBM, e Ana Paula Assis, General Manager da IBM na América Latina.

“Não somente tive a oportunidade de obter o contato de vários profissionais da área, mas também consegui ter uma noção melhor do que é esperado pelas empresas de tecnologia e como é o ambiente de trabalho. Isso também me ajudou muito na universidade, porque estou concluindo o curso de ciência da computação na PUC Goiás, e essa experiência me deu várias ideias para o meu TCC, que eu começo nesse semestre”, comenta Rafael.

Maratona Behind the Code da IBM

Realizada pela IBM, a maratona reuniu 27 mil jovens candidatos a desenvolvedores de todo o País, dentre os quais 8 mil participaram por meio de seu cadastro no CIEE. Entre eles estava Rafael, que participou pela primeira vez de uma competição deste tipo.

“Eu fiquei sabendo da maratona através de um e-mail do CIEE. Foi a primeira maratona de programação que eu participei. Não tinha expectativa de ficar entre os 100 primeiros, ainda mais entre os cinco primeiros”, conta Rafael.

Durante a maratona os desenvolvedores tiveram que encontrar soluções de negócios com tecnologias disruptivas, como AI, IoT, Blockchain e Kubernetes. Foram nove desafios de negócios, sendo a última etapa realizada na Bahia, com os 100 melhores programadores.